3 de abril de 2017

A minha sina















Vou desamparado pela vida
Não quero muito
Tudo que tenho levo comigo
Só coisas que o dinheiro não pode comprar
Sou rico de coisas que não fazem falta a ninguém
A tua graça me basta e me sustenta
Quero só o necessário para mais um passo
Nem conhecimento, nem riqueza
Não me animo com coisas que ensoberbecem
Dê-me apenas um coração sincero e forte
Passo a passo, dia após dia, sem cessar
Através da escuridão dos dias
Nos confins desse caminho que me conduz
Cada vez mais para perto de tudo que é eterno
Antes de finalmente cruzar o ponto além do qual
Ninguém, nem nada, volta para contar
Quero tocar, sentir, provar, ver e ouvir
O que existe de mais profundo em mim
Quero saber até quando o amor resiste
A fé suporta e a minha esperança aguenta
Apesar da minha fraca hereditariedade
Sem retroceder o pé ou desviar o olhar
Quero saber do que eu sou feito...
_VBMello